quinta-feira, 24 de maio de 2018

A inversão é obscena

A inversão é obscena. Ver as coisas de uma perspectiva diferente, é tido com estranhamento pela consciência, que costuma se julgar detentora do saber. A inversão é herética e erótica. É proibida frente à toda moral, costumes e escolhas tomadas até então com base e baseando o pensamento vigente, contra mestres que me ensinaram como pensar, contra a fé que demanda inquestionabilidade, ao mesmo tempo que desperta curiosidade, e gruda nos pensamentos. O invertido, o do avesso, exatamente por ele mostrar aquilo que escondemos de nós mesmos, torna-se insuportável. Ele ostenta tudo aquilo que acreditamos não ter, mesmo que tenhamos de nossa própria forma. E mesmo tão diferente, ele é o mesmo que nós, tanto quanto nós. Quem, afinal, é o centauro invertido?



Renan M. Franklin
Psicólogo e Psicoterapeuta em Curitiba