quinta-feira, 13 de abril de 2017

Depressão e o lidar com as emoções

 A depressão é chamada de "mal do século", sendo estatisticamente a doença atualmente mais incapacitante, prejudicando aqueles que a possuem em nível emocional, produtivo/econômico, em suas relações interpessoais, e outros aspectos. Mas por que essa doença tem se tornado cada vez mais frequente? Arrisco dizer que o movimento depressivo se torna necessário para algumas pessoas, e para a sociedade.

 Existem fatores genéticos no desenvolvimento da depressão, que não devem ser descartados, mas também o modo em que costumamos pensar vai modulando a bioquímica de nosso cérebro. O estilo de vida ocidental visa a produtividade, "tempo é dinheiro". Ficar centrado em si, perceber e viver seus sentimentos e emoções são tidos como perda de tempo. As tristezas não são superadas, elas apenas não são alvo de atenção, e por isso continuam existindo. As felicidades são vividas como se devessem ser aproveitadas em curtos períodos de tempo, onde a seriedade deve logo tomar o controle. Seriedade e felicidade são colocados em contraposição. Somos estimulados a agir mais pela razão que pela emoção. Não demonstrar emoções se torna sinônimo de produtividade.

 A depressão nada mais é do que um sintoma, da inexistência contínua do permitir-se pequenas felicidades durante o dia. Permitir-se parar para ter uma boa conversa; saber como foi o dia das pessoas que você gosta; comer seu doce preferido, que lembra sua infância, mesmo que isso lhe custe algumas calorias a mais; correr no parque; brincar um pouco com seu cachorro. Esses momentos de prazer, que não exigem grandes investimentos financeiros, não são aproveitados por todos.
 Com isso, o voltar-se para seus próprios sentimentos é considerado algo tão ruim, que perdemos a capacidade de lidar com eles. Eles precisam se manifestar de forma tão brutal, exigindo nossa atenção, que algo natural de fato começa a se apresentar de forma patológica.

 O depressivo sofre muito com esta doença, suga todas suas energias, dificultando até mesmo um primeiro passo em busca de um reequilíbrio psicológico e emocional. Aos poucos, lidando com um sentimento de cada vez, é possível retomar um rumo de felicidade e equilíbrio. Aceitar seus sentimentos e lidar com eles é um caminho difícil, mas possível e recompensador.